Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mãe de 3 Milagres da Vida!

Diário de uma Mãe de 3 filhos - Como conciliar a vida familiar e profissional nesta Aventura de Ser Mãe. Quero partilhar as minhas experiências e conhecimento de Ser Mãe! ❤️❤️❤️💓💓🥰🙏

Mãe de 3 Milagres da Vida!

Diário de uma Mãe de 3 filhos - Como conciliar a vida familiar e profissional nesta Aventura de Ser Mãe. Quero partilhar as minhas experiências e conhecimento de Ser Mãe! ❤️❤️❤️💓💓🥰🙏

Dom | 24.10.21

Os Adolescentes e o Álcool - Como os Pais devem reagir?

solua

1. Mantenha-se informado sobre o assunto Exposição ao Álcool na Adolescência e as suas Consequências. 

Este assunto tem toda a minha atenção e procurei informação.

Estudos apresenta que o consumo de álcool no ambiente familiar é bastante elevado. Os números obtidos preocupam porque indicam que o inicio no uso do álcool e outras drogas começa dentro de casa.

O que faz o álcool ao cérebro?

O consumo de álcool na adolescência afeta o desenvolvimento do cérebro, pode provocar a diminuição da massa cinzenta de algumas partes do cérebro e trava o desenvolvimento da matéria branca. A boa noticia é que os investigadores esperam que a matéria branca possa recuperar o crescimento normal caso os adolescentes deixem de consumir álcool.

É necessário levar os jovens a “compreender a importância da moderação...

A exposição prolongada e continuada ao álcool está também associada a uma probabilidade de desenvolvimento de cancro.

Quais são os sinais de alerta a que os pais devem ter em atenção?

Os Adolescentes Só estão à procura da euforia e da desinibição.

Se começam a notar que o filho tem questões de inibição e procura no álcool o escape para essa timidez.

Percebemos o facto de muita gente se sentir mais desinibida depois de consumir álcool. Sob o efeito dessa substância, as pessoas em redor podem parecer até mais atraentes. Com o álcool, muitos tornam-se mais amistosos e menos temerosos. Um risco para os que estão mais vulneráveis e com o discernimento afetado.

Mas se esta é a reação de algumas pessoas, outras tornam-se mais agressivas com a concentração de álcool no sangue. No entanto, esse comportamento é mais comum naqueles cuja tendência já é agressiva.

         O álcool faz parte do convívio familiar e com amigos e é um dos «desbloqueadores» sociais mais utilizado em todo o mundo.

Existe uma enorme pressão e todo um marketing que nos rodeia que reflete o álcool como algo positivo. As festas, a diversão, sobretudo, entre os amigos, com os brindes e a valorização da amizade através do álcool. E isto, na cultura portuguesa, está muito enraizado. Quando combinamos alguma coisa com alguém, combinamos para «beber um copo».

Se, em casa, a bebida é vista com bons olhos e mesmo consumida numa base diária, é natural que os jovens apreendam esse hábito mais rápido.

       Os jovens precisam ter ofertas de prazer e celebração entre amigos que não passem pela alteração de consciência com drogas, principalmente com a droga lícita álcool.

O que leva os adolescentes a beber?

“A adolescência é na sua essência um período de auto-descoberta e definição da identidade de um indivíduo, o que potencia a adoção de comportamentos exploratórios e opositivos às normas e de desafio da autoridade parental”, explica o pediatra. Os adolescentes encontram nos pares o seu modelo de identificação, adotando os comportamentos do grupo.

Fonte: https://www.lusiadas.pt/blog/criancas/adolescencia/jovens-alcool

Se tem menos de 18 anos não beba

Em Portugal, é proibida a disponibilização, venda e consumo de qualquer tipo de bebida alcoólica a todos os menores de 18 anos. Segundo o diploma publicado em Diário da República, que altera a lei do álcool, é eliminada a distinção entre maiores de 18 ou maiores de 16 anos para o consumo de bebidas alcoólicas, sejam elas espirituosas ou não espirituosas.

alcool.png

2. Fortaleça o vínculo

3. Converse com seus filhos sobre álcool

4. Informe sobre as consequências do uso de álcool

5. Observe o comportamento de seus filhos

6. Conheça os amigos dos seus filhos

7. Ouça seus filhos

8. Evite sermões e tom autoritário

9. Estabeleça regras e limites

10. Dê o exemplo

Fonte: 

http://g1.globo.com/como-sera/quadros/adolescentes/noticia/2017/03/especialista-da-10-dicas-para-familia-conversar-com-jovem-sobre-alcool.html

Este assunto preocupa-me, o exemplo em casa é importante e penso que devemos falar sobre este assunto em familia!

O meu desafio passa por falar sobre formas de os meus filhos terem ofertas de prazer e celebração entre amigos que não passem pela alteração de consciência com drogas, principalmente com a droga lícita álcool.

matriz-de-bordado-o-prazer-de-celebrar-e-estar-ent

(imagens retirada da internet)

5 comentários

Comentar post